terça-feira, 21 de agosto de 2012

Fazer-se de tolo é diferente de ser tolo...

TOLO
Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.1 Coríntios 9:22

Maltrapilho sugere algo esfarrapado até mesmo de qualquer maneira. Essa é a sensação que tenho acerca de algumas ramificações que o evangelho tomou. Para quem não sabe, o contexto de ramificação pode ser entendido como um problema que originou a outros. A causa raiz talvez seja falta de fundamentação do Evangelho para se nortear.

Começo escrevendo assim devido às constantes e inúmeras insatisfações que temos por causa do que virou esse pseudo-evangelho. Gente que deturpa uma idéia de independência religiosa criando uma porção de heresias justificadas em versículos isolados para atender seu próprio interesse. Os exemplos não faltam, desde crentes querendo garantir uma auto-afirmação de prosperidade, quanto pessoas que justifica suas ações "injustificáveis" com trechos da bíblia de forma de negligente e fora de contexto.

Das barbáries que tenho ouvido, uma delas é uma interpretação própria e antibíblica a respeito da passagem  do "fingir de tolo para ganhar o tolo". Tolo é o mesmo que fraco. Paulo inserido em contexto Judaico ainda muito forte, ele sabia que precisava se comportar de um modo mais parecido com a cultura judaica, tendo em vista a evangelização. Ele considerava a antiga lei eliminada por Cristo, mas por amor a causa e as vidas, ele abria mão da liberdade e dos privilégios da graça a fim de ganhar os seus irmão de pátria. Esta é a interpretação mais adequada para o texto.

Entretanto, a hermenêutica própria de alguns evangélicos é moldada pelo interesse em um Evangelho mais facilitado. Insistem em defender para continuar sonhando com cobiça, com fama, com a falta de testemunho.

Em outro blog que mantinha, eu recebi vários comentários ofensivos de supostos cristãos por causa do conteúdo das postagens. Um dos argumentos dos ofensores era baseado neste texto fora do contexto. Como citei outrora, volto reiterar, a proposta de minha vida como cristão projetado neste espaço é a reflexão sobre todos os assuntos pertinentes ao evangelho. São reflexões com propósito do conhecimento da Glória de Deus. Só participa quem quiser. Em nenhum momento é proposto à imposição de minhas opiniões nele constantes.

Continuará assim, sem se corromper para agradar a outros. Agradar a outros não é minha missão. Acrescento que não é impondo, ameaçando e forjando mentiras que conseguirão inibir ou censurar minha posição.

Esclarecido os pontos, quero aconselhar aos ofensivos, de nomes forjados ou anônimos, que este blog está aberto ao bom debate, desde que o mesmo seja para o crescimento do verdadeiro cristão ou para fins que façam parte da Missão da Igreja de Jesus nesta terra.

No mais, até mais.

2 comentários:

  1. Parabéns servo de Deus. Gostei muito do seu posicionamento doutrinário, define e expurga toda obscuridade enxergada por alguns que se dizem cristãos. Paz

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao amado por essa explanação que Deus continue lhe abençoando para ajudar a muitos que precisam dessas orientações.

    ResponderExcluir